• Redação Portal Povo

Queimada destrói pastagem na zona sul de Londrina

Corpo de Bombeiros utilizou cerca de 2.500 litros de água para conter pontos críticos das chamas.


Foco do incêndio foi por volta das 11h; trabalho para apagar foi até final da tarde / Gustavo Carneiro – Grupo Folha



Um incêndio atingiu uma longa extensão de pasto de um sítio na rua Monte Carmelo, no jardim Nova Esperança, na zona sul de Londrina, Nesta quinta – feira (15). Até o final da tarde, o receio era de que as chamas atingissem uma mata e uma plantação de aveia. De acordo com moradores do espaço rural, o foco eve início por volta das 11h em terreno de uma chácara vizinha. Com o vento, o fogo se alastrou rapidamente.


“tivemos que trazer os animais para outro lugar, porque era perigoso eles se queimarem. Criamos bois, vacas e ovelhas e infelizmente o fogo acabou com tudo. Eles ficaram sem pastagem para comer e agora temos que ver como eles vão se alimentar”, lamentou Ana Paula dos Santos, que mora no sítio, onde trabalha como caseira. “terei que fazer inalação com a minha filha, pois ela só tem dois anos e inalou muita fumaça”, relatou.


Família que mora em sítio onde se alastrou queimada tentaram conter chamas com abafadores, mangueira e baldes / Gustavo Carneiro – grupo Folha



Por Conta da proximidade das chamas às estruturas em que ficam galinhas e maquinário, a família de Santos se arriscou no meio do incêndio para evitar danos maiores, tentando apagar com abafadores naturais, além de mangueira e baldes. A ação dos populares foi concomitante com o trabalho do Corpo de Bombeiros, que precisou voltar algumas vezes para reabastecer os caminhões.



Animais ficaram sem pastagem para comer / Gustavo Carneiro – Grupo Folha



Segundo a aposentada Ilza dos Santos, é comum pessoas com sítios e chácaras na região atearem fogo, entretanto, desta vez saiu do controle.


“Não sabemos se foi criminoso, se jogaram bituca de cigarro e originou a queimada ou até mesmo proposital, para queimar algum pasto. O problema é que se tornou grande e nesta época de tempo seco piora tudo. Meu genro tentou fazer o que pôde para não deixar alastrar, porém, não teve jeito. Os bombeiros também acabaram demorando para chegar”, lamentou.


O Corpo de Bombeiros informou que foram utilizados cerca de 2.500 litros de água para apagar os pontos mais críticos, até não oferecer mais riscos. Além da situação na zona sul, o 3º Grupamento atendeu outras duas ocorrência de incêndio em vegetação durante a quinta-feira. Reportagem da FOLHA de quarta-feira(14) mostrou que a região de Londrina é a campeão em número de queimadas no Paraná, com 290 situações somente na cidade ate terça (13).


FONTE: folhadelondrina