• Redação Portal Povo

Quatro deputados da região de Londrina votaram contra os professores

Tiago Amaral (PSB), Tercílio Turini (PPS), Cobra Repórter (PSD) e Delegado Jacovós (PR) – Foto: Reprodução


Em três sessões fechadas e consecutivas realizadas na Ópera de Arame e cercados por forte aparato policial, os deputados estaduais aprovaram nesta quarta-feira (04), por 43 votos a 9, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) e mais dois projetos da reforma da previdência dos servidores públicos estaduais.


Dos parlamentares que representam a região metropolitana de Londrina, quatro votaram a favor do projeto encaminhado pelo governador Ratinho Junior (PSD), sendo eles: Cobra Repórter (PSD), Delegado Jacovós (PR), Tercílio Turini (PPS) e Tiago Amaral (PSB).

Apenas dois deputado da região votaram contra: Boca Aberta Junior (PROS) e Arilson Chiorato (PT).


Confira os nomes que votaram a favor da PEC:


Adriano José

Alexandre Amaro

Alexandre Curi

Artagão Junior

Cobra Repórter

Coronel Lee

Cristina Silvestri

Delegado Fernando

Delegado Francischini

Delegado Jacovós

Delegado Recalcati

Do Carmo

Douglas Fabrício

Dr. Batista

Emerson Bacil

Evandro Araújo

Francisco Burher

Galo

Gilson de Souza

Homero Marchese

Hussein Barki

Jonas Guimarães

Luis Cláudio Romanelli

Luis Fernando Guerra

Luiz Carlos Martins

Mabel Canto

Mara Lima

Marcel Micheleto

Márcio Pacheco

Maria Victória

Mauro Moraes

Michele Caputo

Nelson Justus

Nelson Luersen

Paulo Litro

Plauto Miró

Reichembach

Ricardo Arruda

Rodrigo Estacho

Subtenente Everton

Tercílio Turini

Tiago Amaral

Tião Medeiros


Apenas 9 parlamentares votaram contra, veja os nomes:


Boca Aberta JR

Goura

Professor Lemos

Tadeu Veneri

Arilson Chiorato

Requião Filho

Soldado Fruet

Luciana Rafagnin

Anibelli Neto


A votação foi transferida para o local por decisão do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB) depois que na terça-feira, manifestantes contrários à reforma ocuparam a sede do Legislativo estadual.


Agora, a PEC deve ser promulgada pela própria presidência da Assembleia. 

A PEC estabelece a idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres, e pelo menos 25 anos de tempo de contribuição, desde que cumprido tempo mínimo de 10 anos no serviço público e cinco anos no cargo efetivo. Também foi aprovado o projeto que aumenta de 11% para 14% a alíquota cobrada sobre o salário dos servidores como contribuição para a previdência estadual. O terceiro projeto aprovado refere-se a mudanças nas regras do fundo complementar de previdência para servidores que recebem acima do teto do INSS, hoje de R$ 5.839,45 mensais.


Cerca de 800 policiais, 60 viaturas e um helicóptero foram mobilizados para garantir a votação na Ópera de Arame, cujas ruas próximas foram bloqueadas. A sessão foi fechada e somente deputados, servidores da Assembleia e a imprensa foram autorizados a acompanhar os trabalhos. 

A primeira sessão começou por volta das 14h30 com a presença 53 deputados. A terceira foi encerrada já quase às 19 horas.


No início da tarde Traiano (PSDB) confirmou que pretendia concluir a votação da PEC da Reforma da Previdência hoje mesmo, abrindo mão do interstício de cinco sessões entre cada uma das três votações. O deputado Tadeu Veneri (PT) questionou Traiano sobre ele ele estar desrespeitando a exigência constitucional de interstício, mas Traiano alegou que a questão está em regime de urgência e que tem a prerrogativa de derrubar a exigência.  O deputado estadual Hussein Bakri (PSD) apresentou requerimento para quebra do interstício, que foi aprovado por 42 a 10 votos. A bancada de oposição e o bloco independente apresentaram outro requerimento pedindo retirar PEC de pauta por uma sessão, mas também foi rejeitado.


Desocupação


Os manifestantes que invadiram a Assembleia Legislativa na tarde de terça (03) desocuparam a Casa por volta das 15 horas desta quarta (04), em protesto contra a votação da PEC da Reforma da Previdência. Em resposta à ação da Assembleia, a juíza Rafaela Mari Turra, no entanto,  concedeu a liminar à desocupação, com possibilidade de uso da força policial, desde que sem abusos ainda na noite de terça (3). A multa para o descumprimento da ordem foi estabelecida em R$ 2 mil diários. Por causa da ocupação, os deputados realizam realizam na tarde desta quarta (4) a sessão na Ópera de Arame. 


Oposição vai à justiça


A bancada de Oposição entrou com um mandado de Segurança na Justiça contra votação da PEC da Reforma da Previdência, por desrespeitar a exigência constitucional de interstício de cinco sessões entre cada uma das três votações. “Não se pode antecipar sessões. Acho muito grave que o presidente esteja fazendo isso. É lamentável que a Mesa Diretora desrespeite a constituição”, disse o deputado estadual Tadeu Veneri (PT). “Lamento que a gente que ir para Justiça garantir que a Constituição seja descumprido. Você não pode atropelar votação para sair de férias no dia 11 é lamentável”. 


Fonte: Tem londrina