• Redação Portal Povo

Quando o dinheiro público desviado volta à sociedade



A identificação e interrupção de um esquema de corrupção é uma grande vitória para a sociedade, principalmente quando os culpados pelo crime são punidos conforme a lei. Mas o cidadão tem a percepção de que foi feita justiça quando o recurso desviado – ou pelo menos parte dele - volta para a comunidade, ressarcindo os cofres públicos.

   É o caso da devolução de R$ 365 milhões por parte da concessionária de rodovias CCR Rodonorte, por meio de um acordo de leniência firmado junto ao MPF (Ministério Público Federal) no Estado. Nesta segunda-feira (21), o governador Ratinho Junior anunciou as 12 obras que serão executadas com os recursos devolvidos pela empresa.   


Todas as melhorias serão na região entre Curitiba e Apucarana, passando pelos Campos Gerais, com 30 quilômetros de duplicações viárias e oito interseções de nível, como viadutos, trincheiras e passagens. A lista completa pode ser vista na edição desta terça-feira (22), no caderno de Economia.   A Rodonorte foi alvo da Operação Integração em março deste ano e reconheceu que houve corrupção, lavagem de dinheiro e pagamento de propinas a agentes públicos desde 2000, para conseguir mudanças contratuais que beneficiassem a empresa. Outras cinco concessionárias que atuam no Anel de Integração do Paraná também são alvos da mesma investigação. 


A Rodonorte foi alvo da Operação Integração em março deste ano e reconheceu que houve corrupção, lavagem de dinheiro e pagamento de propinas a agentes públicos desde 2000, para conseguir mudanças contratuais que beneficiassem a empresa. Outras cinco concessionárias que atuam no Anel de Integração do Paraná também são alvos da mesma investigação. 


Os pontos que receberão as obras foram escolhidos conforme levantamento realizado pelas polícias rodoviárias Federal e Estadual, levando em consideração a segurança de motoristas e pedestres, o fluxo de veículos e a mobilidade. Alguns dos trechos têm alto índice de mortes por atropelamento. As obras devem ficar prontas até o fim do contrato com as concessionárias, em novembro de 2021.  


Os pontos que receberão as obras foram escolhidos conforme levantamento realizado pelas polícias rodoviárias Federal e Estadual, levando em consideração a segurança de motoristas e pedestres, o fluxo de veículos e a mobilidade. Alguns dos trechos têm alto índice de mortes por atropelamento. As obras devem ficar prontas até o fim do contrato com as concessionárias, em novembro de 2021.   Frequentemente são noticiadas operações policiais que apuram desvio de dinheiro, prisões, delações e acordos de leniência. Mas é importante que a sociedade conheça o desfecho desses casos e saiba onde será aplicado o dinheiro recuperado da corrupção, até mesmo para que o cidadão cumpra o papel de fiscalizar o uso dos recursos públicos.  


Frequentemente são noticiadas operações policiais que apuram desvio de dinheiro, prisões, delações e acordos de leniência. Mas é importante que a sociedade conheça o desfecho desses casos e saiba onde será aplicado o dinheiro recuperado da corrupção, até mesmo para que o cidadão cumpra o papel de fiscalizar o uso dos recursos públicos.  







Fonte: