• Redação Portal Povo

Paquistão proíbe termos como Jesus em SMS

1700 palavras são consideradas ofensivas


Foto internet


Quem manda mensagem de texto no Paquistão vai precisar moderar suas palavras. A agência de telecomunicações do país enviou uma carta às operadoras de celular ordenando o bloqueio de mensagens de texto (SMS) contendo o que a agência considera serem obscenidades, disse a porta-voz da operadora Telenor Pakistan, Anjum Nida Rahman.

A agência também enviou uma lista de 1.500 palavras em inglês e urdu que deverão ser bloqueadas pelas operadoras. A ordem faz parte de uma tentativa da agência reguladora de bloquear mensagens de spam enviadas aos celulares, disse Rahman. A Autoridade de Telecomunicações do Paquistão se recusou a comentar a iniciativa. Muitas das palavras que serão bloqueadas são termos sexualmente explícitos e xingamentos, de acordo com uma cópia da lista obtida pela agência de notícias Associated Press. Ela também inclui termos relativamente mais brandos, como “soltar pum” e “idiota”.


Mas as razões para bloquear algumas palavras, incluindo “Jesus Cristo”, “faróis dianteiros” e “absorvente”, eram menos claras, levantando questões sobre liberdade religiosa e praticidade. Qualquer palavra pode fazer parte de uma mensagem de spam. A carta, que também foi obtida pela AP e dá às empresas sete dias para garantir o cumprimento. Rahman, porta-voz da Telenor, disse que a empresa recebeu a carta, e estava discutindo como proceder. ”É uma grande questão, então está sendo examinada com cuidado por todos os pontos de vista”, disse Rahman. A carta diz que a ordem era baseada em uma lei de 1996 que impede que as pessoas enviem informações “falsas, fabricadas, indecentes ou obscenas” por meio de sistemas de telecomunicações. Ela também diz que a liberdade de expressão pode ser restringida “pelo interesse da glória do Islã”. Sob pressão de islamitas, o Paquistão já bloqueou sites de conteúdo pornográfico e páginas consideradas anti-islâmicas. No ano passado, o país baniu temporariamente o acesso ao Facebook por causa de conteúdo considerado ofensivo ao Islã.


Fonte Quelle: overbo.com.br