• Gazeta News

Marcelo Belinati se alia com promotor e MP pede cassação de Boca Aberta

João Esteves (cargo político comissionado do prefeito Marcelo Belinati com salário de quase 30 mil reais)


Principal testemunha no processo é cargo de confiança do Prefeito.



O Promotor Renato de Lima Castro, juntamente com o procurador jurídico da prefeitura de Londrina, João Esteves (cargo político comissionado do prefeito Marcelo Belinati com salário de quase 30 mil reiais) criaram uma nova estratégia para tirar Boca Aberta da disputa eleitoral em Londrina, em mais uma tentativa de golpe contra a democracia e o voto do Povo. Sem apontar nenhum crime o processo que é motivo de chacota no meio jurídico, pede a câmara dos deputados a cassação do Mandato de Boca Aberta pelo comportamento do deputado.


Por falar em comportamento, o promotor precisa de uma reciclagem sobre o tema, uma vez que já se envolveu em vários episódios e seu "comportamento" foi no mínimo fora do comum e até criminoso.

Em agosto de 2015, o promotor invadiu a delegacia para dar carteirada e proteger da imprensa e da justiça sua colega. A Promotora que foi detida por dirigir bêbada na contramão de avenida movimentada e bater o carro colocando em risco a vida da população. Ao ser vista nesse estado, tentou fugir, mas foi impedida por populares e presa pela Polícia Militar. Após ser presa e levada à delegacia, ela se recusou a fazer o teste do bafômetro. Na ocasião, o Promotor Renato Lima Castro e um colega também promotor invadiram a delegacia para dar carteirada e retirar a Promotora da prisão, e impedir que ela realizasse teste do bafômetro, além de proibir a presença da imprensa no local e que a mesma fizesse fotos do ato criminoso.


fonte: https://www.conjur.com.br/2015-ago-10/promotora-parana-presa-londrina-dirigir-bebada


O Promotor Renato de Lima Castro também é investigado no processo do escândalo do roubo onde os fiscais da receita estadual achacavam  e extorquiam empresários a denominada operação Publicano do GAECO, um dos maiores crimes contra o dinheiro do povo no estado do Paraná, segundo a investigação o Promotor era sócio do contador Paulo Caetano, um dos principais investigado na operação, na Empresa JVL . Uma comissão da Procuradoria Geral de Justiça do Estado do Paraná, pediu o afastamento do promotor Renato de Lima Castro, para evitar interferências na investigação.


Fonte: https://globoplay.globo.com/v/5895293/

https://www.fabiocampana.com.br/2017/05/auditor-fiscal-detona-operacao-publicano/

https://www.paiquere.com.br/auditor-acusa-promotor-de-favorecer-contador-citado-na-publicano/


Bem como sua estranha transferência de Cambará para Londrina por mal comportamento e eventuais ações a margem e o arrepio da lei.