• Redação Portal Povo

Governo prorroga por mais dois meses o auxílio emergencial de R$ 600

Presidente Jair Bolsonaro assinou decreto nesta terça (30) ampliando o benefício para informais, desempregados, MEIs e beneficiários do Bolsa Família

O governo federal vai pagar por mais dois meses o auxílio emergencial de R$ 600. Para mães chefes de família, o valor chega a R$ 1.200. O decreto que prorroga o pagamento do auxílio foi assinado nesta terça-feira (30) pelo presidente Jair Bolsonaro, em cerimônia em Brasília.


O benefício, pago durante a pandemia do novo coronavírus, foi criado pelo Congresso em março, por meio de legislação da Câmara e do Senado, e sancionado pelo presidente no dia 2 de abril. Inicialmente, seriam pagas três parcelas, mas, após pressão, o governo resolver estender o benefício por mais dois meses.

"Cumprindo o que o Congresso Nacional nos determinou de que poderia, por ato do Poder Executivo, prorrogar as três parcelas do auxílio emergencial. É o que o presidente está fazendo hoje para garantir por mais dois meses esse benefício", disse o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, na cerimônia.

Na semana passada, ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes, Bolsonaro chegou a falar em três parcelas extras do benefício, de R$ 500, R$ 400 e R$ 300, o que não se concretizou. As duas próximas parcelas devem ser de R$ 600. Porém, ainda não foi definido se esse valor será escalonado ao longo dos meses de julho e agosto.

Segundo Lorenzoni, o benefício chega a 65 milhões de brasileiros, entre desempregados, trabalhadores informais, contribuintes individuais do INSS, inscritos no CadÚnico e beneficiários do Bolsa Família.

A Caixa Econômica Federal, que faz o pagamento dos valores, recebeu mais de 100 milhões; cerca de três em cada dez foram negadas, mas ainda há cidadãos aguardando para receber a primeira parcela.

É importante lembrar que o prazo para solicitar auxílio emergencial termina nesta quinta-feira (02).  Todos as pessoas que fizerem o cadastro e tiverem o beneficio aprovado terão direito ao mesmo número de parcelas do aporte financeiro, cinco no total. O cadastro pode ser feito pelo aplicativo do Auxílio Emergencial ou pelo site.

O auxílio emergencial é pago a trabalhadores informais, desempregados, contribuintes individuais do INSS e Microempreendedor Individual (MEI). Além disso, é preciso cumprir todos os requisitos abaixo: 

-Ter mais de 18 anos de idade e CPF ativo;  -Ter renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50) ou renda mensal até 3 salários mínimos (R$ 3.135) por família; 

-Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018.

COMO AS NOVAS PARCELAS DO AUXÍLIO SERÃO PAGAS

Caso o governo prorrogue o pagamento do auxílio emergencial, os beneficiados serão os mesmos que recebem o pagamento atualmente. De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, serão contempladas pelo menos 65 milhões de pessoas, que já são os beneficiários que estão recebendo.

COMO SERÃO PAGAS AS DUAS NOVAS PARCELAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL Serão pagas duas parcelas de R$ 600 cada ou de R$  1.200 cada para mulheres chefe de família. Mas esse total poderá ser escalonado dentro dos meses. Os valores e calendário ainda estão sendo discutidos pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e serão anunciados pelo presidente Jair Bolsonaro.





Fonte: